Aventuras e desventuras dos professores, formadores, contratados ou a recibos-verdes que leccionam na Escola Pública, Profissionais, Colégios, IEFP's, Casa Pia, TEIP's em cursos de UFCD's, EFA's, EFJ's, CNO's, AEC's PIEF's, ...

Aceitam-se contributos: eanossaescolinha@gmail.com



terça-feira, 31 de maio de 2011

MUITO À MODA DA MLR...

Nova Iorque: Alunos vão dar nota a professores 

O sistema de educação da cidade de Nova Iorque está a desenvolver uma série de testes padronizados, para serem efetuados pelos alunos, mas cujos resultados irão avaliar os seus professores. A notícia, destinada a lançar um debate sobre o assunto, acrescenta que quem tenha resultados negativos ao longo de dois anos corre o risco de ser despedido. 

Acho que já tive oportunidade de o dizer por aqui...já tive a experiência de dar aulas na escola de ranking cá da terra. Este ano, no entanto, estou numa escola TEIP situada num dos bairros mais problemáticos do país.

Na primeira escola, o aluno-tipo fazia parte da classe média, média-alta. De uma maneira geral, os pais valorizavam a escola, o percurso da esmagadora maioria dos alunos passava por ingressar nas melhores faculdades do país. Muito estudo, atitudes normais em sala de aula, muitas (mas mesmo muitas) explicações fora da escola. Nem que o professor fosse uma arara, entre o livro de estudo, livros extra de exercícios e explicações, a maioria dos alunos conseguiria preparar-se para um qualquer exame nacional.

Na TEIP, o aluno-tipo faz parte da classe baixa. De uma maneira geral, os pais não conseguem acompanhar a vida académica dos filhos, muita família destruturada. Droga e violência fazem parte do dia-a-dia de muitos dos nossos alunos. Pouco estudo (até porque o ambiente em casa nem sempre dá para isso...), dificuldade em adquirir materiais essenciais (tenho alunos a quem tive de emprestar livros, senão nunca os teriam em sala de aula), falta de concentração e de bases. Fora da escola as principais actividades dos alunos são ou deambular pelo bairro ou ajudar a tratar dos (muitos) irmãos mais novos (porque, convenhamos numa casa com 10 filhos há sempre coisas para fazer...).  Por muito que a escola se esforce, o horizonte académico destes jovens é, na generalidade, o 9º ano, muitas vezes feito através de currículo alternativo ou em regime de aprendizagem.

Se me tentassem avaliar com um teste feito pelos meus alunos, eu seria um espectáculo na escola de ranking e provavelmente seria despedida na TEIP decorridos os dois aninhos (porque continuaria a ter de certeza alunos a dizer-me "eh stôra! Deixe lá isso! Já sabe que eu marquei as cruzes ao calhas!")...é a justiça deste tipo de avaliações bacocas pensadas por gente que vive em gabinetes e que até morria se tivesse que enfrentar o mundo real nem que fosse apenas por um ano - olh'á baixa médica!...

Ou então, porque ter problemas? Quem já não ouviu histórias de colégios onde as respostas são comentadas em voz bem audível por professores no corredor junto às salas onde decorrem os exames, assim como quem não quer a coisa?...

lkl

domingo, 29 de maio de 2011

ISTO LEMBRA-ME...

Berlusconi faz parte daquelas personagens políticas por quem tenho um profundo desprezo. Já aqui o disse.

Igual a si próprio,  e em plena campanha eleitoral, mantém o seu estilo, aproveitando-se da sua relação privilegiada com os media para, na noite da véspera de eleições, ter estado em cinco televisões (o que valeu a todas multas pesadas). Não parou de agitar a ameaça da "extrema-esquerda" e garantiu que o candidato da oposição à câmara vai transformar a cidade numa "ciganopolis". 

Culto da imagem, uso pouco ético dos órgãos de  comunicação social a seu favor, aposta no medo da mudança e no discurso "sem mim, o caos"...é só a mim que isto me faz lembrar alguém cá para os nossos lados?...

çlçl

sábado, 28 de maio de 2011

SERÁ POSSÍVEL...

Será possível que quando a era Sócrates passar à história não haja ninguém que seja responsabilizado pelos negócios pouco transparentes que estão à vista de todos? 

Ministério da Educação paga em duplicado à Parque Escolar

kjk

sexta-feira, 27 de maio de 2011

HÁ UMA COISA QUE NOS FALTA, É O COMPUTADOR...

Eu acho que o Sócrates devia evitar o mundo real. Porque, enfim, é sempre embaraçoso querer mostrar ao país as Novas Oportunidades, avançar com lugares comuns como "não há maior esperança para um país do que vos ver assim de novo a estudar!" e depois ter os interlocutores a queixarem-se porque afinal o que querem é computadores...

Sr. candidato, fala-lhe alguém que leva um banho (tantas vezes frio) de realidade sempre que vai trabalhar.  Há lugares onde, para sair bem na fotografia, só mesmo com figurantes sujeitos a castings. O Sr. candidato sabe bem a que me refiro. E ir a um centro de formação do IEFP com jornalistas atrás e sair da zona de conforto que são os gabinetes dos directores, foi um passo mesmo muito, muito arriscado. Do que é que estava à espera?



A história das pessoas que se inscrevem nas NO só com o intuito de receber o portátil é um realidade. Há cursos que esvaziam depois da entrega do computador. Não acho mesmo estranho que estejam a atrasar a sua entrega. Mas porque havemos nós de pagar portateizinhos a esta gente toda?

çlçl

Memórias

quinta-feira, 26 de maio de 2011

FOSSE A GRAVAÇÃO FEITA EM DIA ÚTIL...

Fossem os meninos da gravação parva ter feito a brincadeira em dia da semana (mesmo que à hora do almoço, mesmo que não tivessem aulas, mesmo que feito na outra ponta da cidade...), e lá estava a escola metida ao barulho!!! Olha a sorte do porteiro, hã?

JHJ

terça-feira, 24 de maio de 2011

A INSUSTENTÁVEL COMPLICAÇÃO DAS COISAS QUE DEVIAM SER SIMPLES

Hoje fui inscrever o meu filho no 1º ano.

Sou uma pessoa relativamente organizada, das que não gosta de perder tempo em secretarias e afins e, por isso, antes de sair de casa, e de lista emanada pelo próprio agrupamento em punho, verifiquei item por item que tinha todos os documentos, fotocópias pedidas e prova de exame global de saúde (e tudo junto era já um belo macinho de folhas...).

Confiante, abanquei no balcão da secretaria da escola:

- Ora vamos lá ver - começa a senhora que me atendia - onde está o cartão de cidadão do menino?

Saco da lista dada pelo agrupamento e argumento que o que é pedido é o NIF caso não tenha cartão de cidadão.

- Pois, minha senhora - é-me explicado como se eu fosse muito burra - mas essa lista foi feita de acordo com o que era pedido o ano passado. Agora com a Aplicação Informática (assim com maiúsculas e tudo) é necessário o cartão de cidadão.

Que eu não tinha, e que não é uma coisa que se peça com uma semana de antecedência. É necessário chamar um Professor Especialista na Aplicação Informática, pedir assessoria técnica. Chega-se à conclusão que TALVEZ seja possível inserir antes o número da cédula pessoal. Cuja fotocópia eu não levava porque não tinha sido pedida.

Depois deste primeiro percalço, avançámos de imediato para o segundo:

- Comprovativo do escalão do abono?

Qual comprovativo? Eu nem recebo abono. Esse papel também não fazia parte da lista. Pois não, minha senhora, mas a Aplicação Informática...

Eu a revirar os olhos, a senhora a fazer vista grossa à falta do papel e a apontar "4º escalão".

Entrego o NIF do meu filho (e fotocópia), o meu NIF (e fotocópia), O Boletim de Vacinas, a prova em como fui com ele ao Centro de Saúde fazer o Exame global de saúde (que tive de marcar com um mês de antecedência, sob pena de não o ter feito durante o período de matrículas), o comprovativo de morada (e fotocópia), o cartão de utente (e fotocópia), fotografias, o meu número da SS (e fotocópia ), o número da SS do meu filho (e fotocópia) e quando o molho de papeis a entregar findou, oiço do outro lado:

- E o comprovativo do local de trabalho?

Antes que eu balbucinasse que também esse papel nunca fora pedido, a senhora nem perde tempo:

- Realmente esse papel nunca foi pedido e o que interessa para o ingresso é no seu caso o local da morada, mas este ano a Aplicação Informática pede e não progride se eu não puser os dados todos...

E depois disto eu não consigo deixar de perguntar:

  • Onde, mas onde está o simplex que o Sócrates prometeu?
  • Quem é que vive nos gabinetes dos ministérios a inventar documentos que devem ser pedidos aos Encarregados de Educação e a complicar o processo de matrícula no 1º ano do ensino básico, um procedimento que, até porque é obrigatório, devia ser simples?
  • Como é que com tanta informatização todos os anos se pedem mais e mais fotocópias para o mesmo procedimento?

E finalmente, algo que me deixa MUITO, MUITO curiosa:
  • Eu até sou uma pessoa organizada, tenho os meus documentos em ordem, pago os meus impostos, tenho uma morada fixa, uma vida estável. Como é que esperam que famílias destruturadas, famílias desorganizada, pais analfabetos, consigam reunir toda a colecção de exigências com que me deparei? Como é, a educação é obrigatória mas se as famílias não se organizarem  os meninos ficam em casa? Não, não é? Entram à mesma, não é? E como fazem? Aplicações Informáticas versão A e versão B? Matrículas simplificadas para quem não se organiza e matrículas vamos lá complicar isto para os totós que tentam cumprir? 

    Alguém que me possa elucidar? Alguém?...
    lklk

    segunda-feira, 23 de maio de 2011

    QUEM PODE VOTAR QUE LEVANTE O BRAÇO

    Assim se vê a máquina do PS.  Uma grande reportagem da TVI. Imperdível.


    Em socratês: Absolutamente imperdível. Absolutamente, pá.

    kkj

    domingo, 22 de maio de 2011

    MAIS LEBRES PARA LEVANTAR


    Passos Coelho explicava a um professor do ensino especial da Moito o programa social-democrata e admitiu que é preciso "por fim a esta ideia dos mega-agrupamentos que juntam sete ou oito mil alunos que são coisa absurda".

    lkl

    O BOM DO PERÍODO PRÉ-ELEITORAL...

    O bom do período pré-eleitoral é que se começa a falar de coisas que sempre estiveram à vista de todos mas de que ninguém parecia ter interesse em por em causa...


    A investigação do Ministério Público por fraude no âmbito do programa Novas Oportunidades começou há cerca de um ano e continua a decorrer, confirmou fonte oficial da Procuradoria-Geral da República (PGR): "Existe um inquérito pendente, que está em segredo de Justiça." Em causa, apurou o i, está a venda e a compra através da internet de portefólios fraudulentos que dão acesso aos diferentes graus de ensino no âmbito do programa Novas Oportunidades."

    Bem investigado, e percebem que os portfólios fraudulentos não se resumem aos que se compram na internet. O que não faltam são portfólios feitos por filhos e amigos de formandos. O que não falta é gente a quem foi oferecido de bandeja o 6º, 9º ou 12º. 

    Os seguidores do Sócrates e MLR gostam de argumentar que são os privilegiados quem mais se insurge contra as NO, que não é justo que quem não tenha tido acesso a uma vida cómoda e a uma família que apostou nos seus estudos não tenha também oportunidade de evoluir na habilitação académica. Pois eu acho que o argumento é de uma desonestidade intelectual sem limites. Porque se calhar quem mais se insurge com percursos académicos facilitistas é exactamente quem penou para ter as habilitações que tem. É exactamente quem sabe o que lhe custou abdicar de distracções e actividades que lhe davam prazer para ter notas para entrar na universidade. Quem sabe os sacrifícios que os pais fizeram para lhe pagar 5 anos numa cidade distante para ter um curso universitário. Quem sabe o que é abdicar de parte do ordenado, trabalhando a tempo parcial, para poder ir mais além nos estudos. Quem sabe os sacrifícios financeiros e pessoais que uma família faz quando um dos elementos precisa de completar os estudos (estudos a sério, não uma brincadeira de portfólios e trabalhecos...).

    Agora, quando os estudos foram feitos sem brio e de foma facilitada, como parece ter sido o caso do nosso PM, acredito que saber que a outros andam oferecer canudos não chocará demasiadamente. Podia evitar era chamar privilegiado a quem deu o duro para ter as habilitações que tem.

    Privilegiado é quem vive à custa do aparelho partidário.

    Uma rotunda derrota. Uma rotunda derrota é o que lhe desejo.

    jjh

    sexta-feira, 20 de maio de 2011

    INDICADORES POSITIVOS

    Porque, e ao contrário do que corre, eu não sou sempre do contra, eis que chega o momento de concordar nalguma coisa com o nosso (ainda) PM: «Chega de dizer mal do país». Por isso faço questão de apresentar um indicador muito positivo no actual panorama político nacional:

    Um estudo encomendado pelo próprio PS aponta como valor da intenção de voto no partido nas próximas legislativas qualquer coisa como 30%. No entanto, e mais importante, a percentagem dos que excluem a hipótese de votar no actual primeiro-ministro chega a 2/3 do eleitorado.

    É um bom indicador ou não?

    kjkj

    Legislativas 2011

    No debate mais aguardado deste período eleitoral,

    Sócrates foi finalmente derrotado no seu discurso demagógico (por KO)

    Felizmente e finalmente, o discurso completamente gasto do, ainda actual, PM foi posto em questão.

    Sr. PM, já chega de:
    • Afirmar que a oposição criou uma crise política
    • Reafirmar que a oposição obrigou o governo a pedir ajuda externa
    • De discutir apenas os programas da oposição ao invés de apresentar o seu.
    • De afirmar que os outros são negativistas apenas porque tentam mostrar o estado gravíssimo em que o país se encontra
    • De ofender quem não concorda consigo
    • De tentar mostrar que não destruiu a educação, a saúde e a segurança em Portugal
    • Convencer que CERTIFICAR é o mesmo que QUALIFICAR
    • Repetir que não precisávamos dos milhões do FMI, quando diversas instituições do estado já não conseguem pagar aos seus colaboradores
    • Enganar os portugueses
     Sr. PM, adeus.

    MAIS NOVAS OPORTUNIDADES - TESTEMUNHO DE UMA FORMADORA

    quinta-feira, 19 de maio de 2011

    BRINCANDO ÀS AVALIAÇÕES

    "O sistema solar é constituído pelo Sol e pelos corpos celeste que orbitam à sua volta. Actualmente, considera-se que os planetas que fazem parte do sistema solar são Mercúrio, Vénus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Neptuno. Em 2006, Plutão deixou de ser classificado como planeta, embora continue a fazer parte do sistema solar.

    Questão: Actualmente, considera-se que o sistema solar é constituído por quantos planetas?"

    Não, não é uma pergunta de algibeira para meninos do 3º ano, é mesmo a primeira questão do caderno 2 do Teste Intermédio de Física e Química, 9º ano, realizado hoje a nível nacional.

    E afinal quando os miúdos se queixam que os professores fazem testes muito difíceis, se calhar têm razão...

    gb

    quarta-feira, 18 de maio de 2011

    HOTEL FMI, NOVA IORQUE

    IV questões (OU LEBRES LEVANTADAS) em relação às Novas Oportunidades!


    Quando se fala das Novas Oportunidades, antigos Centros de Reconhecimento e Validação de Competências-Chave(CRVCC), trata-se apenas e somente (permitam-me o pleonasmo) de um processo de validação e certificação de competências que bem feito, até teria sentido... mas a realidade não é essa...

    Numa primeira fase, os Centros Novas Oportunidades (CNO's) iniciaram-se com a validação e certificação de competências do 9º ano e depois, o mais polémico, este processo estendeu-se ao 12º ano.

    Assim, sucintamente, colocam-se as seguintes questões:

    i) Que público alvo se valida e certifica? Com que Curriculum Vitae (CV)? De que forma se certifica?

    Não me chocaria que este processo validasse candidatos para um 12º ano cujo CV falasse por si... Mas na realidade isto não funciona assim, pois seriam apenas um número mínimo de candidatos que seriam certificados... Há, sim, por que já trabalhei de perto com vários destes Centros, uma pressão governativa - sobre os que funcionam no ensino público (nas escolas secundárias), no ensino privado (a sua sobrevivência depende das metas - números de candidatos em processo de validação e dos candidatos já certificados em cada CNO -, senão podem fechar portas: têm que necessariamente de atingir as metas, para que se justifique a sua continuidade) e nos Centro de Formação da rede IEFP - cujos secretários de estado do Ministério do Trabalho e da Segurança Social deste governo PS fazem as seguintes questões semanalmente: "Quantos em processo? Quantos Certificados?"

    Depois, nas escola públicas (normalmente escolas secundárias) e nos centro de formação acreditados (centros de formação da rede IEFP e/ou escolas privadas) os alunos que não completaram o ensino secundário poderão concluí-lo, através da famosas Unidades de Formação Modulares de Curta Duração (UFCD's) - com a duração de 5o horas. Deste modo, um ex-aluno do ensino secundário que nunca fez a disciplina de Matemática, porque não percebia nada de contas, poderá escolher, através de uma vasta lista de UFCD's que lhe é fornecida (como se tratasse de uma ementa), duas (suponhamos) que lhe dêem equivalência a essa mesma disciplina, mas que seja da área científica. E pronto - conclui-se o 12º ano, sem nunca ter tido aprovação a Matemática! Bonito, não?


    ii) Quem reconhece e valida estas competências? Como são estruturadas as equipas formativas? Que qualidade têm?

    O que se verifica é que muitas destas equipas formativas (excepto no ensino público e que, mesmo assim, são muitas das vezes constituídas por professores com menos experiência) são feitas por formadores (que nem muitas das vezes são professores) que são lançados no universo das competências-chave, uma chek-list de competências (nome bonito para designar o "saber-fazer"), muitas delas difusas, confusas e abstractas... Depois, ou cumprem as metas ou vão para a rua - a maioria deles estão a recibos verdes... e valida-se/certifica-se... e valida-se/certifica-se... sucessivamente... ATÉ A VITÓRIA FINAL! (REELEIÇÃO DO SÓCRATES EM 2011!)

    iii) Como se coloca a máquina a funcionar? Todos os CNO's funcionam da mesma maneira? Com a mesma qualidade?

    A realidade é que essa check-list de competências foram passadas formalmente para os CNO's e... FAÇA VOCÊ MESMO (como se cada equipa de CNO tivesse uma instrução para montar uma mobília, mas não soubesse o que estava a construir). Deste modo, cada CNO trabalha sobre um modelo criado por si (completamente diferente do CNO, ao lado, no mesmo bairro ou cidade). Ao início, até houve uma preocupação de tornar o processo credível, através de um trabalho minimamente estruturado e consistente, mas a pressão das METAS... Abandalhou o sistema!!!

    iv) Quem avalia os CNO's?

    Ninguém, meus amigos, segundo o Sr. Sócrates: "os avaliados no processo" - uma coisa que me apercebi logo, enquanto aluno universitário (Universidade Pública), é que nunca se deve falar mal, em caso algum, da instituição onde adquiri o meu canudo, legitimamente, aliás, senão desvalorizar-me-ia profissionalmente, para além de fazer figura de urso! O que é que que estavam à espera? Que falassem mal do que lhe foi oferecido? Isso seria anti-natura!!!

    Aliás, muitos destes alunos nem se apercebem do que estão a fazer, cumprem o processo, até lhes dizerem para parar: "STOP! O Senhor está validado! Parabéns, VOCÊ CONSEGUIU!!" Toma lá: um carimbo, um diploma, uma certificação - mais um número para cumprir as metas estipuladas para 2011 e, com sorte, é o próprio Sr. Sócrates que lho entrega em mãos (mais a Ministra de Educação que estiver em serviço nessa altura)!!!

    Dou por finda a minha exposição que já vai longa, mas há ainda muitas lebres na toca... (conto apenas aquilo que testemunhei)

    GANDAS OPORTUNIDADES

    AVALIAÇÕES E AVALIAÇÕES

    Quando começou a febre da avaliação dos professores, houve quem argumentasse que os professores sempre tinham sido avaliados. O governo Sócrates insurgiu-se então porque, na sua óptica, uma avaliação tinha de quantificar objectivos, metas definidas, muitas grelhas, relatórios de autoavaliação, portfólios com evidências, colegas a avaliar colegas, encarregados de educação a avaliar professores, professores avaliados pelos resultados dos alunos. Coisa muita rigorosa e muito séria, diziam eles.

    Ontem, e relativamente ao programa Novas Oportunidades, lebre muito bem levantada pelo Passos Coelho que afirma que irá pedir uma auditoria externa ao programa, José Sócrates argumentou que o programa já é avaliado. Avaliação essa que se centra exclusivamente na percepção das pessoas que o frequentam.

    É assim. O conceito de avaliação é uma coisa muito relativa. O rigor de Sócrates sempre em grande.

    jhjh

    terça-feira, 17 de maio de 2011

    QUEREM CONTACTOS?


    A comissão permanente da Assembleia da República debate quinta-feira o programa Novas Oportunidades a pedido do PS que quer saber «porque razão está hoje» o PSD contra aquele programa.

    Senhores deputados que integram a comissão permanente da AR, se calhar já têm muita investigação feita e muitas pessoas para ir falar. Mas, caso queiram mesmo saber o que se passa no terreno, caso queiram mesmo saber que há adultos que afirmam alto e bom som que a ideia é andar a fingir que estudam em cursos EFA sucessivos até aos 45 anos enquanto recebem o RSI porque "depois, com essa idade, já ninguém me dá trabalho e eu fico descansado", se quiserem mesmo ver o que são "fichas de validação" onde adultos pintam tudo o é bonecada sem escrever uma única palavra, onde adultos falsificam justificações de faltas só para não terem de ir às aulas (porque, enfim, a assiduidade é a única coisa que compromete o RSI - o aproveitamento é irrelavante - "e bons eram os formadores do ano passado que nos deixavam assinar a folha de presenças e ir embora..."), enviem um mail cá para o blog que nós temos bons contactos para vocês.

    Também se arranjam bons contactos de formadores no Regime de Aprendizagem com histórias engraçadas que envolvem, entre outras, histórias de cursos de pintura de construção civil formados em exclusivo por senhoras de virtude duvidosa a quem as únicas pinturas que interessavam eram mesmo as que usavam (e abusavam) na cara para a actividade remuneratória que iniciavam ao final da tarde depois de sair do Centro de Emprego. Mas está tudo bem, porque são menos essas nas estatísticas para o desemprego, não é? O zé povinho que pague a factura...

    Cursos CEF, também querem testemunhos? Para esses cursos, até conseguimos que a comissão presencie a reuniões semanais de alguns Conselhos de Turma CEF. É uma experiência muito positiva porque saímos de lá sempre com aquela sensação de alívio...ufa! Não sou eu que tenho de aturar aqueles broncos mal educados que até pela janela entram e saiem da sala...

    Por isso, senhores deputados da comissão permanente da AR, caso queiram saber mesmo o que se passa no país real, a gente conta. E até vos pagamos um cafezinho numa esplanada simpática cá da terra. Está prometido.


    hgh

    segunda-feira, 16 de maio de 2011

    ORA BEM...

    Ora bem, já vai mesmo sendo tempo de alguém denunciar que o rei vai nu...assim sim, sr. candidato!

    Passos quer auditoria às Novas Oportunidades

    O líder do PSD considerou que o programa tem sido no essencial uma "mega encenação paga a peso de ouro" para "atribuir uma credenciação à ignorância".

    lklk

    sexta-feira, 13 de maio de 2011

    Nós avisámos

    Rede do Ministério congestionada bloqueia concurso de professores


    No post publicado no dia 21 de Abril, avisamos que isto ia acontecer (afinal não é assim todos os anos)

    Mas afinal qual é mesmo a novidade? Há coisas que nunca mudam.

    - Então mas isto não acontece todos os anos?

    - As desculpas do ME e deste governo não é sempre a mesma: “um elevado n.º de acessos” (não foi também esta a desculpa que impossibilitou o acesso ao voto nas últimas eleições a centenas de portugueses)

    - Então o plano tecnológico das escolas não estava já perfeitamente implementado e a funcionar? Parece que não.

    - Onde está a ministra da educação? Já alguém veio acalmar os professores e as escolas sobre o que está a acontecer? (ah, ok estamos em tempo de eleições e isto não se deve saber)

    Particularmente gostei de ver as declarações de alguém do ME (porque há sempre alguém a justificar-se mas que ninguém sabe quem é):

    “Não existe qualquer anomalia. Trata-se apenas de um pico de utilização da rede informática do ME.”

    Esta é mais numa frase feita, retirada do manual de baboseiras deste governo. Este blog orgulha-se de antecipar os comentários das altas individualidades deste país (e não é que acertamos sempre):

    Isabel Alçada

    O concurso está a decorrer com toda a tranquilidade e os senhores professores estão a concorrer, memo, memo, com toda a normalidade. Eu alertei logo no início do ano que todos se deviam deitar cedo, acordar cedo para depois tomarem o pequeno-almoço. Assim…. todos os senhores professores conseguiam concorrer sem estarem nervosos. Concorrer a este concurso é uma espécie de exercício de masoquismo, porque devemos sempre concorrer memo que depois metade não consiga entrar.

    José Sócrates

    Há por aí quem deseje que tudo corra mal. As críticas à forma exemplar como o concurso está a decorrer é mais um episódio absolutamente lamentável. Este não pode ser o tempo para o oportunismo. É porventura pedir demais, aos professores que utilizem a sua própria internet para acederem ao concurso? Que lamentável, que lamentável, senhores jornalistas.

    Oh Luis, esta gravação ficou boa? Não será melhor mudar de fato e de ângulo?

    quinta-feira, 12 de maio de 2011

    MISTÉRIOS DO CORPO HUMANO


    Aula com uma das minhas turmas do 8º ano.

    Estudo do som. A propagação do som como propagação de vibrações. Emissores e receptores. Experiência com uma película de celofane que vibra quando um som é produzido. E depois a questão que se impõe:

    - Então e nós? Como ouvimos?

    Silêncio.

    - Vá lá, o que temos nós nos ouvidos que nos permite ouvir?

    Silêncio. E depois da reflexão, a medo:

    -...Cera?...

    LKLK

    SERVIÇO PÚBLICO

    O esclarecimento que se impõe relativamente à questão ortográfica do dia:

    pintelho, (tê)
    m. Mad.
    Espécie de pintasilgo, (puffinus obscurus, Temm.).


    pentelho
    s.m. Chul. Pêlo que cobre o púbis.
    Bras. Indivíduo chato.

    jhjh

    quarta-feira, 11 de maio de 2011

    Obrigado Sócrates

    25 a 40 mil professores ficam sem emprego (*)

    (*) Mais uma notícia para todos aqueles que acham que devem votar Sócrates, porque têm a convicção de que a oposição ainda é pior.

     

    Dos 55 mil candidatos aos concursos do ministério, 20 mil procuram emprego e 35 mil estão nas escolas. Para os primeiros as hipóteses são quase nulas e os segundos enfrentam cortes drásticos. Dos quase 55 mil candidatos aos concursos de contratação a prazo do Ministério da Educação - onde se incluem os que têm hoje um vínculo precário às escolas - pelo menos metade deverá ficar sem colocação no próximo ano lectivo.


    Actualmente, a rede pública emprega cerca de 35 mil professores a prazo e a tendência - assumida por sindicatos de professores e por directores - será para reduzir "drasticamente" esse número. Assim, além dos 20 mil professores que hoje já não conseguem entrar no sistema público, muitos outros deverão abandoná-lo a partir de 2011/2012.



    A redução será "drástica", dizem os sindicatos. Mas quantos serão ao certo é a dúvida do momento, com as estruturas a avançarem estimativas que variam entre os cinco mil e os 20 mil, dependendo do calendário de execução de algumas das medidas em cima da mesa. A nova organização dos horários das escolas, o fecho de escolas, a criação de mais mega agrupamentos através da fusão dos existentes e a reorganização curricular do ensino básico - actualmente suspensa - vão ditar o total a deixar o sistema.


    (in Diário de Notícias, 11 de Maio)

    segunda-feira, 9 de maio de 2011

    Até aos Alemães detestam o SOcas!!!!

    Há Ritalina a Mais nos Nossos Alunos!! Isso Irritalina-me!!


    Fig1. Professor Contratado à espera de ser novamente colocado!



    Sinceramente, já começo a ficar farto de falar mal do Sócrates, dá-me azia, eu que, ainda por cima, sofro de refluxo... Centremo-nos, agora, neste blogue, sobre questões de educação!

    Neste último mês, apercebi-me que a "dopagem" dos alunos com substâncias antidepressivas no meio escolar é monstruosa...

    O rei desses fármacos é a Ritalina (parece ser uma fusão da prima Rita com a tia Lina)! Tal como o champô, é três em um: pronta para combater o deficit de atenção (provavelmente por parte dos pais), depressão (de não lhes apetecer estudar) e a famosa hiperactividade (que não passa muitas das vezes de malcriação).

    O certo é que na minha escolinha, nas turmas do primeiro ciclo, já há muitos alunos "dopados" em sala de aula - é assustador!!! O que é que um puto entre os seis anos e nove/dez anos precisa de um anti-depressivo? Estamos a criar/educar crianças "zombies"?

    Parece que esta moda que entrou em Portugal, a partir de 2004, infelizmente, está a acentuar-se!

    No entanto, neste momento, nos EUA já há uma corrente anti-ritalina, inclusive na classe médica, muitos desses alunos já se encontram na fase do "desmame", visto que os pedo-psiquiatras chegaram à simples conclusão que alunos "zombies" não evoluem... e que muito desses problemas são derivados pela falta de atenção familiar, provocando desordens emocionais que se reflectem no vida escolar (lá estou eu armado em professor-psicólogo).

    Eu próprio já contactei com vários desses "zombies". Numa das minhas turmas: uma rapariga (que até é uma aluna razoável) toma dosagens fora do comum desse fármaco: está inchada como um peixe-balão e olha para o quadro negro como se fosse a linha do horizonte; o outro aluno o qual já teve um processo disciplinar (foi suspenso durante cinco dias), depois de ter destruído uma porta de sala de aula, após a sua expulsão pelo seu docente de Português - confesso, fui eu esse professor), neste momento também fixa o mesmo quadro numa sonolência melancólica e quando me aproximo da sua carteira para lhe tirar dúvidas, este olha para mim pestanejando, apenas a sua pálpebra esquerda! Parece o Herr Flick da Série Allô, Allô...

    Eu até poderia estar feliz, pois está manso como um cordeiro, mas não, faz-me impressão um aluno assim, amputado das suas faculdades físicas e psicológicas... Não há risco de me bater, isso é seguro (ou será?), mas certamente é incapaz de aprender de forma minimamente produtiva e saudável...

    O certo é que aos pais isso também lhes facilita a vidinha - podem descansar -, porque lidar com este tipo de crianças 24 horas por dia (isto nos fins de semana) não é fácil... Mas será justo criar/educar filhos/alunos catatónicos?

    E eu a pensar que apenas os seus professores viviam sob os efeitos de calmantes... E esta, hein? (termino à moda de Fernando Pessa)

    PS (mas não o do Sócrates) - imaginem um escola pública catatónica, com professores, funcionários e alunos "Zombies", dava um bom filme de terror, não?

    domingo, 8 de maio de 2011

    PARQUE ESCOLAR , RTP2

    ALÇADA E O MUNDO REAL

    A nossa (diz que é uma espécie de) ministra gosta de estar em contacto com o mundo real, com a realidade das escolas. Vai daí, nada melhor que visitar as escolas in loco. Desta vez é a Escola Secundária de Paredes...a um domingo!!!

    Eu até percebo, durante a semana estão lá aqueles putos todos a falar alto. E alguns são memo feios, com aquele acne todo. E cheiram mal. Tiram todo o glamour de uma escola acabadinha de "ser intervencionada"...escolas sem miúdos é muito mais coiso, sei lá!

    kjkj

    sexta-feira, 6 de maio de 2011

    quinta-feira, 5 de maio de 2011

    A RESSACA


    Parece que afinal não há cafezinhos grátis. E que o plano fantástico que o Sócrates (não) apresentou no intervalo do jogo de futebol (15 minutos também não dá para tudo...) não consta afinal de 78 mil milhões de euros a cairem-nos em cima a fundo perdido.

    Mas olha que eu ouvi o Sócas até ao fim e pela conversa parecia...

    Casas mais caras, salários estagnam, impostos sobem, Saúde e Educação emagrecem, despedir será mais fácil.


    Taxas de juro do empréstimo começam nos 3,25 por cento.

    lk

    quarta-feira, 4 de maio de 2011

    DÚVIDA DO DIA SEGUINTE

    Se o FMI é assim tão bom, porque é que o Sócrates fez aquela birra toda, batendo o pé para evitar a sua entrada em Portugal?

    lklk

    terça-feira, 3 de maio de 2011

    Homens da Luta, em Dusseldorf

    Estes grandes homens já são um sucesso na Alemanha.


    UM INTERVALO DE UM JOGO DE FUTEBOL

    Um intervalo de um jogo de futebol foi tudo o que o Sócrates precisou para transformar o FMI de papão que a todo o custo se devia evitar num grande sucesso da sua acção governativa.

    O ilusionismo é de facto uma arte...

    kjkj

    A NÃO DECLARAÇÃO DE SÓCRATES

    • O acordo com a troyka foi um sucesso, mas não posso adiantar pormenores;
    • O 13º mês e o subsídio de férias mantém-se;
    • Vai ficar tudo como previsto no PEC IV, com ligeiras alterações (não vou adiantar quais);
    • O 13º mês e o subsídio de férias mantém-se;
    • Lei laboral mantém-se, com ligeiras alterações (não vou adiantar quais);
    • O 13º mês e o subsídio de férias mantém-se;
    • Viva eu, viva o PS. Dia 5 de Junho estou cá de novo, não estou Luis?

    Impressão minha ou o Teixeira dos Santos estava com vontade de lhe ir à cara?...

    ~º~º

    A verdade!

    segunda-feira, 2 de maio de 2011

    EU NÃO VOTO SÓCRATES

     
    "Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância."
    Sócrates (mas o outro: o sábio, o filósofo)

    (*) Esta imagem pode ser copiada


    As inaugurações, na área da educação sucedem-se umas atrás das outras. Não há discurso onde a tema “educação” não seja abordado. O homem está mesmo desesperado por convencer os professores.

    Foi hoje, 8 de Maio, um domingo.
    Foi no dia 25 de Abril, um feriado.
    Foi no dia 1 de Maio, outro feriado.

    “Um dia disseram-me que iam despedir os professores provisórios.
    Não quis saber, não era comigo.

    Mais tarde disseram-me que iam pôr 5000 professores de EVT no desemprego.
    Não quis saber, não era comigo.

    Mais tarde disseram-me que iam pôr não sei quantos funcionários das escolas no desemprego. ~
    Não quis saber, não era comigo.

    Depois soube que iam despedir os professores de EMRC.
    Não quis saber, não era comigo.

    Depois soube que iam despedir todos os professores das artes.
    Não quis saber, não era comigo.

    De seguida foram os professores de educação musical e educação física despedidos.
    Não quis saber, não era comigo.

    Um dia disseram-me que iam acabar com as aulas de História e reduzir o Português, indicando-me a porta de saída. Senti-me mesmo mal e resolvi pedir ajuda aos colegas. Mas não tinha ninguém a quem pedir ajuda e lutar ao meu lado.

    Tinham sido despedidos debaixo da minha indiferença.

    Parece-me que a situação da nossa classe está bem pior do que estava no tempo da D. Lurdes, anestesiados com as falinhas mansas da senhora que está como ministra apenas a colher material para escrever Uma Aventura no Ministério da Educação.

    Não sei o que vamos fazer, mas temos de fazer algo.

    Temos que começar a conversar e a lutar.“
    (a circular por e-mail)
    Este governo está mesmo desesperado por convencer os professores. Somos mais de 100 mil, mais os maridos/mulheres e respectivas famílias. Contas feitas por alto, pelo menos meio milhão de votos.

    Votem no que quiserem, mas não me venham com aquela que a oposição ainda pode ser pior!

    Se o PS ganhar, com ou sem maioria, mais ninguém cala o Sócrates.

    E meus amigos professores preparem-se que o homem ainda não se esqueceu dos 100 mil na rua.

    O NOSSO FALHANÇO

    Domingo de chuva. Conversa entre casais com filhos em idade escolar e eu a única professora. Muitas críticas à atitude de alguns professores, à forma como os horários dos miúdos são realizados. Algumas delas com muita razão de ser. E depois a indisciplina. Que quando um miúdo fazia isto era incompreensível que a escola não tomasse esta e aquela atitude. Que quando um aluno não quer saber da escola, devia ser convidado a sair. E aí começo eu com o discurso que desde a MLR que isso não é possível. Mas a conversa continua: que quando um aluno agride um funcionário ou professor devia ser expulso...e então percebi que estava tudo a leste. Foi preciso fazer um ponto à situação:

    - Oh J., vamos lá a ver se eu me faço entender: desde a MLR que não há mesmo expulsões do ensino, percebe? Saiu da lei. Não é possível. Não existe mesmo!

    E é com espanto que percebo que estou a dar uma novidade aos restantes.

    Não há dúvida que houve um falhanço em toda a linha no que à mensagem que conseguimos passar para o resto da sociedade diz respeito. Niguém sabe de facto o que é que se passa com a legislação escolar e está toda a gente convencida que é a avaliação de professores a grande e única fonte de atrito nas escolas. Neste sentido, nós, professores, profissionais da transmissão de informação, falhámos. É um facto.

    hgh

    domingo, 1 de maio de 2011

    OS FINLANDESES QUEREM QUE OS FILHOS SEJAM PROFESSORES

    Uma pessoa lê a entrevista a Jouni Välijärvi, investigador em Educação na Finlândia, o tal país que é o modelo em termos de educação (não, não esqueço o Jorge Sampaio a dizer que o que fazia a diferença entre os modelos de educação de Portugal e da Finlândia é que os professores finlandeses passavam 50 horas semanais na escola...), uma pessoa lê a dita entrevista e fica a saber que na Finlândia ser professor primário é tão prestigiado como ser médico ou advogado, que é aliás muito difícil entrar para o curso, tal é a quantidade de candidatos; que os pais querem que os seus filhos estudem para serem professores primários; fica a saber que o número médio de alunos por turma é na primária de 21 e no secundário de 19; que cada professor organiza o trabalho como entende; que os alunos finlandeses, entre tempo na escola e trabalhos de casa, passam um total de 30 horas por semana...fica a saber isso tudo e pergunta-se onde raio, mas onde raio se baseou o modelo de educação inventado pelos governos Sócrates?

    jhj

    Habilitação Própria para leccionar Español


    Atenção, segundo a portaria 141/2011, de 5 de Abril, só tem quem 36 créditos numa Licenciatura em Espanhol é que tem a Habilitação Própria para leccionar Castelhano, parece que este ano saiu uma grande fornada de licenciados em espanhol, mais outro grupo que começa a ficar cheio!!
    Revogou-se assim a portaria nº 303/2009, MAS QUEM FICOU EFECTIVO O ANO PASSADO, MESMO SEM HABILITAÇÃO PROFISSIONAL - SOMENTE COM O C1 DO DELE (Instituto Cervantes) E UM CURSO DE LÍNGUAS - SAFOU-SE! E ESTA, HEIN?! (lembrando o nosso saudoso, Fernando Pessa).