Aventuras e desventuras dos professores, formadores, contratados ou a recibos-verdes que leccionam na Escola Pública, Profissionais, Colégios, IEFP's, Casa Pia, TEIP's em cursos de UFCD's, EFA's, EFJ's, CNO's, AEC's PIEF's, ...

Aceitam-se contributos: eanossaescolinha@gmail.com



sábado, 26 de fevereiro de 2011

MAIS DOCUMENTOS GIROS PARA ENCHER O PORTFÓLIO

Na senda do Vamos Encher o Portfólio com Papel, mais um documento digno de registo: a ficha de observação.

No "trabalho de pesquisa" que fiz sobre Planos de Aula, apercebi-me que Plano de Aula que se preze refere sempre um item que diz "Avaliação das Aprendizagens". Na minha ignorância, eu achava que as aprendizagens dos alunos se avaliavam através de testes, de relatórios, de trabalhos. E que depois haveria a avaliação de atitudes e comportamentos sobre os quais os professores fariam apontamentos de forma simples, mais ou menos formal, e sempre que tal se justificasse. Mais que isso, achava que só a professora dos Gato Fedorento.

Mas depois esse tal item da "Avaliação das Aprendizagens" referia sempre uma "grelha de avaliação" e eu fiquei curiosa. E fui investigar. E depois deparei-me com documentos deste género:
E aí, eu que nunca tive reclamações com as notas que dei, percebi que estou a mover-me em terreno muito pantanoso. É que eu (e felizmente este é um blog anónimo) NUNCA fiz grelhas deste género. Mas há mesmo quem consiga fazer uma ficha destas por aluno por aula?

É que se argumentarem que é para ter um portfólio jeitoso e tal, eh pá, eu calo-me. Ou antes, não calo - acho ridículo e fraudulento. Mas fico mesmo na dúvida é se haverá quem utilize este tipo de documentos. Senão vejamos:

1. A exequibilidade. Quantos alunos têm as vossas turmas? É que se tiverem 3, vá, 5 alunos, ainda pode ser aceitável. Mas pelo que sei as turmas rondam os 26-28 alunos. Quando é que estes professores preenchem esse número de fichas por aula? No intervalo? À noite, ainda enquanto se lembram do que se passou?

2. A quantidade de papel. Façamos as contas por baixo e aceitemos turmas de 25 alunos. Duas aulas por semana. Cerca de 100 aulas por ano. A uma folha por grelha, dá 2500 folhas no final do ano. 5 turmas, dá 12500 folhas no final do ano. Esta gente não podia ser acusada formalmente por atentado contra o ambiente?

3. A utilidade. E depois o que fazem da informação? Médias aritméticas? Gráficos? E chegam à conclusão que o resultado é afinal a ideia que fazem do aluno, mesmo sem grelhas destas, certo? E depois esta informação toda conta quanto na classificação final do aluno? 20%? Valerá a pena o esforço?

Pois é. Com isto, eu só posso concluir: há gente que ou não tem vida própria, ou não tem tempo para preparar devidamente as suas aulas. E nenhuma das categorias me merece muita simpatia...

jhjh

2 comentários:

Anónimo disse...

Para além da pertinência das questões abordadas no post, o giro da coisa é o facto de os alunos com participação incorrecta serem mais valorizados do que aqueles que participam só a pedido do professor!

OlhóTaxo disse...

É verdade! Nem tinha reparado nesse pormenor - caladinhos é que não...