Aventuras e desventuras dos professores, formadores, contratados ou a recibos-verdes que leccionam na Escola Pública, Profissionais, Colégios, IEFP's, Casa Pia, TEIP's em cursos de UFCD's, EFA's, EFJ's, CNO's, AEC's PIEF's, ...

Aceitam-se contributos: eanossaescolinha@gmail.com



sábado, 26 de fevereiro de 2011

ALÔ,ALÔ! CANTANHEDE?

Professores dão aulas sem receber ordenado

A maioria dos professores da escola Pedro Teixeira, em Cantanhede, Coimbra, vai dar aulas, sem receber ordenado, aos 217 alunos do estabelecimento de ensino particular que encerra na terça-feira, informou fonte da comissão de pais.
«As crianças vão à escola, normalmente, para continuarem a ter aulas. E os professores vão dar aulas sem receberem ordenado», disse Bruno Lopes, da comissão de pais da escola Pedro Teixeira.

«Não abdicamos das aulas para os nossos filhos. Está assente o despedimento colectivo da totalidade do pessoal docente e não docente, mas a escola não vai fechar, apesar de ficar sem pessoal», disse Bruno Lopes.

Eu leio a notícia e assumo que o jornalista não terá conseguido explicar tudo, porque de facto fica por clarificar:

  • Porque carga de água é que os professores haveriam de ir dar aulas sem receber ordenado?
  • Como é que uma comissão de pais decide que, mesmo com o encerramento da escola, "as crianças vão à escola normalmente para ter aulas"?
  • E, finalmente, como é que é possível que, estando assente o despedimento colectivo da totalidade do pessoal docente e não docente, os próprios pais afirmem que "a escola não vai fechar, apesar de ficar sem pessoal"?

É a notícia que está mal escrita, não é? Não haverá por aí ninguém de Cantanhede que queira fazer uma luz sobre o assunto? É que o resto do país não entendeu mesmo...

YGTY

4 comentários:

xor disse...

Boa noite
De facto seria necessário conhecer um pouco da entrega diária que existe da parte do corpo docente e não docente da Escola Pedro Teixeira para que aos alunos sejam prestados alguns dos melhores serviços de Educação. E não estou a falar de campos de golf, nem aulas de equitação.
O facto é que devido ao incumprimento, por parte do Ministério da Educação, no pagamento do Contrato de Associação para com a Escola Pedro Teixeira torna-se insuportável à mesma efectuar o pagamento dos ordenados desde o mês de Janeiro de 2011. Facto este que motivará o despedimento colectivo de todo o pessoal.
Aqui levantam-se então duas questões ... SEM PESSOAL COMO FICARÁ A ESCOLA ABERTA E SEM PAGAMENTO COMO PODERÃO OS PROFESSORES DAR AULAS?!?
Pois isto pode acontecer porque, por força dos pais que querem os seus filhos na Escola Pedro Teixeira e os professores que tudo farão pelos seus alunos chegou-se a um acordo em que mediante o pagamento de ajudas de custo, por parte dos pais aos professores, este continuarão a leccionar as aulas normalmente. E também porque enquanto existir vontade de aprender e ensinar num estado de direito, em que todos têm direito a uma escolariedade obrigatória gratuita, a Escola Pedro Teixeira não fechará as suas portas.

NÃO MORREMOS NEM QUE NOS MATEM

OlhóTaxo disse...

Caro Xor,

Obrigada desde já pelo esclarecimento. Independentemente de se estar ou não de acordo com o financiamento das escola com contrato de associação, ninguém de bem poderá estar a favor com o não cumprimento de contratos já celebrados. Não se mudam regras a meio do jogo e muito menos quando estão pessoas, e em especial crianças, em questão. Mas devo dizer-lhe, entanto professora, que essa é uma atitude que não me espanta vinda no ME e do actual governo.
Devo dizer-lhe que revela de facto paixão, apostar em conseguir terminar o ano numa escola que encerra agora.E, apesar de eu achar difícil que os profissionais consigam manter-se até Julho (estamos ainda em Março...as pessoas têm contas, têm também filhos a exigir encargos) numa situação tão precária, não posso deixar de admirar a resolução que conseguiram tomar em conjunto.
Boa sorte para todos.

joão josé cardoso disse...

Já agora podia acrescentar que fala de um colégio que rouba alunos às escolas públicas, e que os professores que ali leccionam roubam horários a quem concorre com classificação académica e tempo de serviço.
Já agora podia explicar que o suposto encerramento da escola é uma mentira, que a verba oferecida pela DREC chega e sobra para pagar salários, embora talvez não chegue para os chorudos lucros que o dito colégio tem obtido.
Já agora podia ter vergonha, e contar a verdade, começando por explicar como foi seleccionado para trabalhar no dito colégio, e onde estaria a dar aulas se concorresse ao ensino público.

xor disse...

Boa noite Sr João José Cardoso

Permita-me que lhe recomende uma leve leitura de cabeceira:

Artigo 187º, CAPITULO VI, TITULO I, LIVRO II do Código Penal "Ofensa a organismo, serviço ou pessoa colectiva"

Passo a citar:
"1 - Quem, sem ter fundamento para, em boa fé, os reputar verdadeiros, afirmar ou propalar factos inverídicos capazes de ofender a credibilidade, o prestígio ou a confiança que sejam devidos a organismo ou serviço que exerçam autoridade pública, pessoa colectiva, instituição ou corporação, é punido com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 240 dias."

Get some shame...