Aventuras e desventuras dos professores, formadores, contratados ou a recibos-verdes que leccionam na Escola Pública, Profissionais, Colégios, IEFP's, Casa Pia, TEIP's em cursos de UFCD's, EFA's, EFJ's, CNO's, AEC's PIEF's, ...

Aceitam-se contributos: eanossaescolinha@gmail.com



segunda-feira, 4 de julho de 2011

SURPRESA, SURPRESA!

Insucesso escolar. Plano para salvar alunos faltosos foi um fracasso

A tentativa foi "bem-intencionada" e a medida cheia de "boa vontade". É pena ter sido um fracasso. Na anterior legislatura, os deputados do PS e do CDS/PP decidiram dar uma oportunidade a quem não aparece nas aulas. As escolas passaram a ser obrigadas a fazer um plano individual de trabalho (PIT) para os alunos que ultrapassam o limite de faltas injustificadas. A regra consta do novo Estatuto do Aluno e foi testada no ano lectivo que agora terminou. Chegou o momento de conhecer os resultados: "Não foi de modo algum eficaz", explica Agostinho Guedes, director da Escola Secundária Inês de Castro, em Gaia. Que é o mesmo que dizer que esses planos são "inócuos e só serviram para aumentar a burocracia e o trabalho dos professores", acrescenta Teresa Lopes, do Agrupamento Ibn Mucana, em Alcabideche (Cascais).

ÇLÇ

2 comentários:

Rodinhas disse...

Os PIT's fazem me lembrar uma expressão popular: "dar pérolas a porcos...".

OlhóTaxo disse...

Rodinhas, nem chegam a ser pérolas. Eu própria tenho pouco brio quando invento um enunciado de um "trabalho de investigação" quando sei que nem terei oportunidade de o dar ao aluno visado, uma vez que...ele não vem às aulas!!! Não passa mesmo de um papel para fazer volume na pasta da DT...