Aventuras e desventuras dos professores, formadores, contratados ou a recibos-verdes que leccionam na Escola Pública, Profissionais, Colégios, IEFP's, Casa Pia, TEIP's em cursos de UFCD's, EFA's, EFJ's, CNO's, AEC's PIEF's, ...

Aceitam-se contributos: eanossaescolinha@gmail.com



sábado, 16 de abril de 2011

O QUE ME CHATEIA...

O que me chateia nalguma comunicação social é o facto de dar voz a um qualquer cromo que lance umas tontices inconsequentes para o ar. E se for para malhar nos professores, então...venham cromos que nós publicamos!!!

A última é a do sr. Salcedo que, enquanto ex-professor catedrático, percebe imenso de ensino não-superior. E vai daí, afirma que todos os professores deviam ser retirados da função pública (adivinha-se que está a falar dos professores do ensino não superior, claro) e que as escolas deviam ter autonomia para escolher os melhores professores e os melhores alunos.

O discurso é obviamente simplório, porque se der autonomia às escolas para escolher os bons alunos - onde ficam os maus? E a autonomia que deseja é no fundo o que já se pratica nas TEIPs e não consta que seja nessas escolas que está a elite da classe docente (atenção - nem a elite, nem o piorio, o que se passa é que as direcções acabam por preferir trabalhar com um corpo docente estável que estar sempre a mudar todos os anos...como em qualquer empresa normal...). E depois, parece-me ainda que o sr. Salcedo confunde dar autonomia às escolas para seleccionar os professores (é contra os concursos nacionais de professores, portanto) com o estatuto dos professores (enquanto forem pagos pelo estado, são funcionários públicos, ou não?).

O que o senhor diz, portanto, entra-me por um ouvido e sai por outro pela pobreza dos argumentos.

Agora o que me chateia mesmo...o que me chateia mesmo é estar sempre a ouvir estes disparates tendo como alvo os professores. Que diabo! O tipo não disse que achava que todos os funcionários públicos deviam ser retirados da função pública. Especificou os professores. Só. Mas os argumentos que usou podiam ser aplicados aos hospitais (cada hospital devia poder escolher os melhores médicos, os melhores enfermeiros, os melhores doentes...), aos tribunais (os melhores juízes, os melhores réus...), aos serviços em geral (os melhores funcionários, o melhor público). Porquê os professores, homem?!?

Há gente que devia mesmo viver calada. E jornalistas que se deviam esforçar por procurar gente de facto interessante para entrevistar...

lkl

2 comentários:

nêspera disse...

Nem mais! Boa!

Pica-Mula disse...

Sabes, os Sócrates deste país têm um grande problema com os profs: São muitos na Função Pública - isso implica muitos ordenados e direitos associados, por isso mais vale exterminá-los para que a despesa pública diminua abruptamente...

Os que ficarem, que aguentem o barco, neste caso o Titanic da Educação...

Assim quanto mais denegrirem a nossa imagem, melhor!!! O problema é que vão ganhando adeptos!!!